segunda-feira, 20 de março de 2017

Vem, senta-te aqui e fica a ouvir comigo…



12 comentários:

ana disse...

fiquei :)

Célia Rangel disse...

Sonoridade apaixonante... Obrigada!
Abraço.

bea disse...

Que bonito, mas hoje eu precisava aqui de uma caminha onde o meu cansaço pudesse enfim, morrer descansado:). Daí que volte noutra hora.

Flor de Jasmim disse...

Fechei os olhos e deixei-me envolver, foi tão bom!

Obrigado Luísa por este momento.

Tem uma boa semana.

Beijinho com carinho

Isabel Pires disse...

Luísa, ao ler o título lembrei-me de Pessoa em:

Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio.
Sossegadamente fitemos o seu curso e aprendamos
Que a vida passa, e não estamos de mãos enlaçadas.
(Enlacemos as mãos).

Depois pensemos, crianças adultas, que a vida
Passa e não fica, nada deixa e nunca regressa,
Vai para um mar muito longe, para o pé do Fado,
Mais longe que os deuses.

Desenlacemos as mãos, porque não vale a pena cansarmo-nos.
Quer gozemos, quer não gozemos, passamos como o rio.
Mais vale saber passar silenciosamente.
E sem desassossegos grandes.

Pedro Coimbra disse...

Está a tocar em fundo.

luisa disse...

Ana,
Obrigada pela companhia. :)

Célia,
É mesmo. Gosto muito. :)

Bea,
O convite vale para qualquer hora… :)

Adélia,
Que bom! Ainda bem que gostaste.

Isabel,
Oh… Obrigada por esse poema que aqui deixas. Assim ainda me deleito mais a ouvir a música.

Pedro,
Também gosto de fazer isso.

Manu disse...

Como sou bem mandada, sentei-me aqui e fiquei a ouvir deliciada.

Beijinhos

AFRODITE disse...


Nunca digo que não a uma proposta musical tua...
Vou ficar a ouvir... e vou gostar de certeza!

Beijinhos musicais
(^^)

AFRODITE disse...

E vim confirmar que gostei sim!
Tu muito gostas de cravo... :)

O Jean Rondeau é que é um pouco excêntrico, não achas!? :))

luisa disse...

Afrodite,
Sim. Gosto muito da sonoridade do cravo e foi procurando músicas interpretadas com esse instrumento que descobri o Jean Rondeau. Um miúdo super talentoso. Excêntrico... Só por não corresponder a uma imagem preconcebida que temos de intérpretes de música clássica ou antiga. É a indumentária, o cabelo... Até vi um vídeo dele a tocar descalço. :))

Ana Freire disse...

Um som lindíssimo... que me parecia inicialmente ser de uma citara...
Adorei descobrir esta peça musical, que desconhecia!
Beijinhos
Ana